Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Profissões em alta

1 comentário

 

Uma das preocupações evidentes da juventude é o trabalho. O ideal do emprego está cada vez mais distante do horizonte pós-moderno. Hoje é preciso estar treinado para uma autonomia profissional que significa polivalência. As profissões tradicionais estão condenadas ao desaparecimento. Ainda há pouco, um cientista inglês afirmava que daqui a 100 anos não existirá mais a advocacia. Talvez demore um pouco mais num país atrasado. Mas que o mundo é outro, isso é muito nítido.

O que o planeta precisa é de pessoas mais sensíveis em relação ao ambiente. Afinal, a humanidade está em risco de desaparecer. Samuel Taylor Coleridge, no poema “A balada do velho marinheiro” afirmava, profeticamente: “Água, água por todo lado, sem nada que beber”. É a premonição do futuro que não está longe. A poluição das águas e o crescimento da população, aliados ao desmatamento, farão desaparecer um quarto das espécies vivas até 2050.

Chega de burocratas e de pessoas que vivem de formalismo. Agora é preciso profissionais de consciência e sensibilidade. Por isso, as profissões em alta são as de biólogo, oceanógrafo, consultor ambiental, cientista, engenheiro ambiental, engenheiro florestal, educador ambiental, geógrafo, geólogo, meteorologista, monitor de ecoturismo e zootécnico.

Num nível intermediário, é preciso de agricultores que se especializem no cultivo de produtos orgânicos, técnicos em silvicultura, jardineiros, operadores de viveiros, especialistas em criadouros vegetais e animais. As “profissões verdes” são as necessárias. São as urgentes. São aquelas das quais depende o futuro da humanidade.

Não é palpite de ambientalista amador, nem chute de catastrofista. A Fundação Getúlio Vargas, no seu MBA Executivo em Administração de Empresas enfatiza o Meio Ambiente. São 3 disciplinas na área ambiental: Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável, Responsabilidade Socioambiental e Instrumentos de Gestão Ambiental Empresarial. E a pesquisa Delphi “Carreiras do Futuro” realizada pelo Programa de Estudos do Futuro-Profuturo da Fundação Instituto de Administração FIA identificou as carreiras mais promissoras neste século: Gestão Ambiental, Engenharia Ambiental, Agronomia, Ecologia, Engenharia Florestal e Ciências Biológicas. É isso aí!

José Renato Nalini é Desembargador da Câmara Especial do Meio Ambiente do Tribunal de Justiça de São Paulo e autor de “Ética Ambiental”, editora Millennium. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Um pensamento sobre “Profissões em alta

  1. Na verdade não deviamos trabalhar mas sim aprender a viver com o minimo de trabalho passarmos mais tempo com os filhos cuidando masi do que é natural respirar ter tempo para meditar sem barulho ser mais capas de observar as risquezas que temos desacelerar contar os minuto para a paz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s