Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Mães contra a devastação

1 comentário

O Canadá sempre esteve na dianteira quanto à preservação ambiental. País civilizado, densidade democrática adequada, clima perfeito. Possui as vantagens dos Estados Unidos e se livrou dos inconvenientes ianques. Lá o espaço propício ao surgimento da campanha ‘Moms Against Climate Change’ – ou ‘Mães Contra a Mudança Climática’, criada pela Defesa Ambiental Canadense e pelo ForestEthics. Esta, uma organização comprometida com a proteção de florestas e lugares selvagens sob ameaça.

A campanha não pede dinheiro, doações ou comparecimento a reuniões. Apenas pede que os pais fotografem seus filhos e permitam que estas fotos sejam inseridas no site www.momsagainstclimagechange.com. É um apelo simbólico: mostrar, fisicamente, as crianças que sofrerão os efeitos da insensata exploração do Planeta ora em pleno e desenfreado curso. Foi a forma que as mães preocupadas com o aquecimento global, tão evidente para quem queira enxergar, encontraram com o intuito de alertar os responsáveis.

Será que os artífices da catástrofe, os aceleradores do desastre, não se comovem ao encarar as faces infantis das próximas vítimas? Não há diretoria, nem coordenação formal, nem liderança. Valoriza-se o intercâmbio de discussões e de reflexões no Facebook e no Twitter, as ferramentas que facilitam a disseminação da ideia e a adesão dos interessados. Talvez haja motivo para alguma esperança. Aqueles que persistem a devastar, com o pensamento no lucro rápido e crescente, poderão sensibilizar-se com as faces infantis daqueles que sofrerão as consequências das mudanças climáticas.

As coisas caminham mais rapidamente do que se pensa em termos de aquecimento global. Ou será que todos os fenômenos contemporâneos são ocorrências naturais, excluída qualquer possibilidade de participação humana na degradação das condições climáticas? Bem pensada a denominação do movimento. Mãe é aquela criatura que efetivamente se aflige por seu filho. Só uma mãe consegue olhar tanto à frente, porque ela pensa no bem estar do filho para sempre. Mesmo quando ela já não estiver por perto.

José Renato Nalini é Desembargador da Câmara Especial do Meio Ambiente do Tribunal de Justiça de São Paulo e autor de “Ética Ambiental”, editora Millennium. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Um pensamento sobre “Mães contra a devastação

  1. Ainda convivo com minha mãe ela tem 63 anos e trabalha muito na Santa Casa desta cidade aposentou com uma merreca 37 anos de profissão estudou ja madura é tecnica de enfemagem tem dia que participa de 8 cirurgias ela é fora de série eu amo ele.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s