Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

A orgia da literatura

Deixe um comentário

A entrega à população da biblioteca circulante Mário de Andrade é auspiciosa para todos os brasileiros. Quase 50 mil volumes estão disponíveis para retirada por leitores que terão 15 dias para ler dois livros. Outras novidades virão por aí e o Secretário de Cultura de São Paulo, Carlos Augusto Calil relata que o investimento em reformas de 37 bibliotecas superou R$ 7 milhões, enquanto outros R$ 9 milhões se destinaram à aquisição de livros novos. Sinal de que o livro sobreviverá, mesmo com o advento do kindle e do ipad.

Não há o que temer com a chegada dos novos suportes. O cinema veio se somar ao teatro e a televisão não sufocou os dois. A internet não matou a mídia impressa. Convivem e se complementam. Interessa é fazer as pessoas lerem. Seja qual for a modalidade de leitura a que se devotem. A mídia pode e deve auxiliar nessa tarefa. Hoje, o leitor já não é passivo, mas é um ativo partícipe e consumidor de novidades. Urgente fazer com que os interesses da criança e do jovem sejam descobertos e sirvam para fazê-los ler, pensar, escrever e se comunicar.

Há quem lamente a multiplicação de maus livros, os chamados best sellers, que têm uma distribuição eficiente e tomariam o espaço dos bons livros. Não comungo desse pessimismo. É melhor que as pessoas leiam do que não leiam. De repente, da leitura de uma obra considerada “menor”, desabroche o interesse na leitura de uma obra que possa merecer a categoria de “melhor”. Depois, esses critérios são muito relativos. Há quem escreva para si mesmo, tão hermético e rebuscado é o seu linguajar. Este autor não suporta o pecado da venda massiva de escritores que se tornam verdadeiros fenômenos.

Há espaço para todos. Procurar agradar o leitor não é errado. Descobrir os filões a serem providos por novos livros é um talento que todos gostariam de ter. O melhor mesmo é fazer com que todas as pessoas sejam inoculadas pelo vírus do amor à leitura. Que os livros se multipliquem numa saudável e exuberante orgia literária. O Brasil e seu futuro só terão a ganhar com isso. E por sinal, a Bienal do Livro vem por aí, a partir de 12 de agosto no Anhembi.

José Renato Nalini é Desembargador da Câmara Especial do Meio Ambiente do Tribunal de Justiça de São Paulo e autor de “Ética Ambiental”, editora Millennium. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s