Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Política mal frequentada

1 comentário

A política é uma coisa digna, mas costuma ser mal frequentada. Coitada da política. Ela não pode ser só de quem está no governo e na oposição. O sistema está esgotado. É urgente uma revolução pacífica, de comportamentos. Quando se fala em refundação de partidos, dever-se-ia falar em Refundação da República. Os partidos não se abrem às pessoas. Funcionam como tropa. São sempre os mesmos que falam por eles. E os representantes dos partidos só falam entre si. Só quando querem o voto é que se lembram dos cidadãos.

Essas afirmações não são minhas. São de Joaquim Jorge, português autor de um blogue chamado CDP – Clube dos Pensadores. Ele lançou em janeiro um livro sobre política “e outras coisas piores”. E afirma que a democracia está em coma. “Vivemos moribundos, uns contra os outros: velhos contra novos, desempregados contra empregados, pobres contra ricos”.

Critica o personalismo de José Sócrates, que completou um ano a governar Portugal sem maioria absoluta. Ele acha que o povo, ao deixar de conferir essa maioria ao governo foi inteligente. “Foi um castigo para quem está habituado ao “quero, posso e mando”. O recado foi: “Ficas aí, sim. Mas não mandas em tudo”.

Afirma que a ideia que paira em Portugal continua a ser “nulla salus extra Sócrates”: não há salvação fora de Sócrates. À busca de legitimidade, o governo se submete às pressões e oscila para o lado que o vento sopra. O povo está cheio de medo e apático. Se Sócrates de início conseguiu dobrar o povo, fez o que quis e continua a fazer, o desencanto surge quando as promessas não são cumpridas.

Quanto ao blogue, diz que a blogosfera consegue em tempo real por na internet o que se passa. Tem um papel de formadora de opinião. E indagado se, com tantas ideias, não pretende se candidatar, diz ter aprendido com Nelson Mandela que não precisamos de cargos para fazer política. Termina a entrevista concedida ao jornalista Hugo Filipe Coelho, do Diário de Notícias de Portugal de 11.1.11, dizendo que sua expectativa é ver até que ponto os portugueses vão aguentar isto. E Portugal também. Quanto tempo vai aguentar? Ainda bem que isso ocorre em Portugal e que no Brasil é tudo diferente.

José Renato Nalini é Desembargador da Câmara Especial do Meio Ambiente do Tribunal de Justiça de São Paulo e autor de “Ética Ambiental”, editora Millennium. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Um pensamento sobre “Política mal frequentada

  1. Mestre, que catástrofe maior precisa que aconteça? Olhar dos alpes é fácil.. Duro é quando se precisa por comida na mesa e, ainda que se trabalhe dia e noite, precisa escolher entre o teto (aluguel) ou alimentar a família (Por essa razão a crítica à Diderot).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s