Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Favelização é sina?

Deixe um comentário

Por favelização, compreende-se um processo de urbanização distorcido, em que o número de habitações irregulares invade o espaço urbano legal. Por consequência, este é obrigado a se contrair. Favelização é sinônimo de degradação urbana.Verdade que “favela” passou a ser considerada, por alguns, como fato natural. Há um certo “glamour” na favela e em seus moradores, considerados seres humanos que sabem se adaptar à realidade e precisam de pouco para viver. Entre glamourização e demonização, fico no meio termo. Morar em barraco fere a dignidade humana. Tanto que Ronald Daus, em sua trilogia sobre megacidades europeias, considera a “favelização” um sinônimo de “terceiro-mundialização”. Mike Davis escreveu o seu “Planet of Slums” para alertar sobre os danos que esse padrão de desenvolvimento produz para os mais pobres, com ameaça crescente ao equilíbrio ecológico do planeta.Quem se preocupa em disputar cargo para administrar uma cidade precisa estar inteirado do tema. Há “Cidades Reinventadas”, como Barcelona, Bilbao, Berlim, Bonn-Colônia e outras (até Buenos Aires…) que revitalizaram áreas deterioradas. As favelas são inevitáveis? Não necessariamente. Há bons projetos e experiências exitosas.

O ideal é congregar todos: governantes, empresários, operários, artistas, urbanistas, moradores, pedagogos, assistentes sociais, médicos, juristas e a mídia. E usar adequadamente as redes. Os problemas conectados em redes exigem alternativas encadeadas em rede. Há muito material já escrito sobre o tema. Perpetrei, em 2011, o livro “Direitos que a Cidade Esqueceu”, publicado pela Revista dos Tribunais, no qual proponho algumas pistas para minorar os problemas dessa exclusão citadina. Pois hoje, os problemas brasileiros são todos urbanos. Já que a nossa população é predominantemente moradora da cidade. Mas quem tiver interesse pode consultar também Janice Perlman, “O Mito da Marginalidade: Favelas e política no Rio de Janeiro” e “Um século de favela”, de Alba Zaluar e Marcos Alvito. Ambos perceberam que, por causa desse fenômeno, a “Cidade Maravilhosa” tornou-se uma “Cidade Perigosa”. Mas isso é reversível, desde que haja vontade política.

José Renato Nalini é Corregedor Geral da Justiça do Estado de São Paulo, biênio 2012/2013. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s