Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Monsenhor Venerando Nalini

3 Comentários

Há exatamente 50 anos falecia Monsenhor Venerando Nalini. Completara no ano anterior suas bodas de ouro sacerdotais e João XXIII lhe conferira o título de Camareiro Secreto e o elevara à dignidade de Monsenhor. Ele nasceu em 13.12.1885, em Biondi de Visegna, Verona. Veio para o Brasil com 2 anos. Seu pai, João Baptista Nalini, foi professor público nomeado pela Intendência Municipal, para ensinar português aos filhos de italiano do Núcleo Colonial Barão de Jundiaí.

Venerando estudou no Seminário Menor de Pirapora, ordenou-se com 25 anos, em 5.3.1911 e em 1912 foi nomeado Vigário de Cabreúva, onde permaneceu até 1920. Em 1920 tornou-se Vigário da Paróquia Nossa Senhora da Lapa e exerceu o paroquiato por 20 anos. Foi Vigário de Itu de 1940 a 1944, depois Vigário de São Roque até 1946. Neste ano foi nomeado Capelão da Casa de Retiros para Homens em Barueri, a “Vila Dom José”, onde permaneceu a pregar até falecer em 2.2.1962. 

Até o final da vida, foi confessor do Cardeal Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta. Sua pregação era impressionante. Fazia homens chorar de arrependimento e todos reconheciam o carisma de converter até os mais empedernidos. Não havia ceticismo que resistisse à sua consistente argumentação, sua lógica e capacidade de convencer mediante insofismável raciocínio. Em 10.12.1980, o Governador Paulo Maluf promulgou a Lei 2.595, denominando “Monsenhor Venerando Nalini” a Escola Estadual de Ivoturucaia.

Enquanto esteve em atividade, fazia os casamentos, batizados e sepultamentos da família. Tenho o privilégio de guardar seus escritos, piedosos e instigantes. Alimento a pretensão de um dia ainda publicá-los, para que sua memória sirva de estímulo às novas vocações e também de inspiração para os alunos que têm a ventura de estudar num estabelecimento de ensino que leva seu nome e, com certeza, sua proteção. Costumava trazer balas nos grandes bolsos da batina, distribuindo-as às crianças com as quais era bondoso, bem-humorado e brincalhão. Sacerdotes de outros tempos, que tive a honra e a alegria de poder chamar de “tio”.

José Renato Nalini é Corregedor Geral da Justiça do Estado de São Paulo, biênio 2012/2013. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

3 pensamentos sobre “Monsenhor Venerando Nalini

  1. Que bonito, o seu tio era um sacerdote que tinha AMOR pela sua missão.
    Abraço.
    Iêda.

  2. Olá Renato,

    Não se se te disse, mas outro dia indo ao enterro do pai de uma amiga, no cemitério da ordem 3a do Carmo, vi o túmulo do Mons Nalini.

    Abs

    vjb

  3. Esta obra jamais poderia deixar de ser publicada. Confio que o senhor nos partilhará esta honra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s