Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Mais vergonha, por favor!

2 Comentários

 Brasil sabe que precisa ter vergonha na cara. Que o Estado precisa ser um indutor da iniciativa privada, não o tutor da comunidade. O paternalismo é algo que impede de crescer. A urgência é dar educação, fazer pensar, estimular a criatividade e inocular brio para as consciências anestesiadas. 

Estes dias recebi mensagem com aquilo que a filósofa russo-americana Ayn Rand, judia que fugiu da Revolução Russa e chegou aos EUA na década de 1920, disse e que é válido quase um século depois: “Quando você perceber que, para produzir, precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; 

Quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada e a honestidade se converte em auto-sacrifício, então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada”. Isso faz pensar. 

Mas não é necessário sair do Brasil e de sua cultura para ter consciência de que tudo já foi melhor e poderia ser muito melhor do que hoje. Há pouco se recordava o grande Darcy Ribeiro, que faria 90 anos em 2012. Ele escreveu um dia: “Fracassei em tudo que tentei na vida. Tentei alfabetizar as crianças, não consegui. Tentei uma universidade séria, não consegui. Mas meus fracassos são minhas vitórias. Detestaria estar no lugar de quem me venceu”. 

Tantos outros brasileiros se empenharam num projeto de transformação do Brasil: D. Helder Câmara, Irmã Dulce, Chico Mendes, Santiago Dantas, Franco Montoro. Não faltam vultos pátrios que mereceriam ser lembrados, cultuados e seguidos. Nada obstante, prepondera o culto à vaidade, a tática das homenagens, o servilismo ao mandante de plantão, o desfile dos desvertebrados em busca das migalhas do banquete oficial. É aí que dá vontade de conclamar aqueles que ainda não perderam a lucidez, para formar um bloco a clamar por Mais vergonha, meu Brasil!

JOSÉ RENATO NALINI é Corregedor Geral da Justiça do Estado de São Paulo, biênio 2012/2013. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

2 pensamentos sobre “Mais vergonha, por favor!

  1. Pingback: Mais vergonha, por favor! | cartorioderiopreto

  2. José Renato, esse texto que está rodando a internet não é de autoria de Ayn Rand. Estou em busca do verdadeiro autor.
    Essa filósofa tinha ideias completamente contrárias ao que consta nesse texto. Um parágrafo sobre sua filosofia:

    “Rand era atéia. Bem, o ateísmo é irrelevante na filosofia de Rand. O ponto central – e foi a ele que os conservadores se agarraram – é que o mundo é dividido entre a elite rica e os parasitas. A elite rica é uma minoria que empurra o mundo adiante, com sua criatividade incansável da qual deriva sua justificada fortuna. Parasitas somos todos nós, que sugamos o sangue dos melhores. É uma inversão curiosa do conceito consagrado pelo movimento Ocupe Wall Street: o 1% é glorificado e os 99% desprezados.
    Rand é o ídolo maior dos integrantes do Tea Party, a direita da direita americana”. http://www.diariodocentrodomundo.com.br/a-deusa-do-mercado-as-ideias-de-ayn-rand-a-escritora-que-fez-os-estados-unidos-serem-o-que-sao/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s