Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Retrocesso catastrófico

3 Comentários

Quando a Constituição do Brasil foi promulgada, em 5 de outubro de 1988, um dos dispositivos mais elogiados em todo o mundo foi o artigo 225. Ele consagra uma efetiva tutela ao Meio Ambiente, a que “todos têm direito”. O meio ambiente ecologicamente equilibrado é bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida. 

O constituinte impôs ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. Havia uma tradição brasileira nessa área. O Brasil participou do Relatório Bruntland, que na década de 1970 elaborou o conceito de sustentabilidade. Resumível na singela frase: “sabendo usar, não vai faltar”. Ou seja: temos de devolver o planeta a quem nos suceder, em condições de plena fruição, para que a posteridade também se valer possa de um patrimônio que nenhum ser humano construiu.

Foi obra da Natureza ou da Providência Divina, conforme se adote a teoria do “big-bang” ou do “design inteligente”. De 1988 para cá, infelizmente, o Brasil retrocedeu. A grife Marina Silva foi defenestrada, na queda de braço com mulher mais forte. 
O setor agroindustrial revogou o Código Florestal. Desmanchou-se o Ibama. O desmatamento continuou. 

O mar se tornou cada vez mais poluído. De perto e de longe, o que se vê é desolação. Dois exemplos: a rodovia Bandeirantes, quando construída, teria um canteiro central bem amplo, para abrigar milhões de árvores. Barreira verde contra a poluição e o ruído. O que se vê hoje? A Serra do Japi, aos poucos, vai sendo tomada por “empreendimentos” que, ao usarem seu potencial ecológico, não hesitam em destruí-la.

Quem se aproxima por qualquer rodovia percebe os espigões surgindo na área de amortecimento, essencial à preservação da mata. Quem sobrevoa São Paulo verifica o risco premente e crescente de ver destruída uma floresta sem igual em todo o planeta. Nós, perdulários e ignorantes, não estamos sabendo salvá-la. Um dia a História nos julgará. Seremos réus revéis, pois todos estaremos mortos. E quem vier que se arranje…

JOSÉ RENATO NALINI é Corregedor Geral da Justiça do Estado de São Paulo, biênio 2012/2013. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

3 pensamentos sobre “Retrocesso catastrófico

  1. Faltou acrescentar a péssima gestão das unidades de conservação. Uma ficção jurídico – ambiental, na qual um Decreto ou Lei de criação de UC vira o álibi para obtenção de financiamentos nem sempre transparentes.

  2. Boa noite, Prezado Dr. Nalini.
    Primeiramente, desejo que o Senhor seja nosso novo Presidente, pois todos sabemos como tem se preocupado conosco, Servidores do Judiciário.
    O problema referente ao meio ambiente é gravíssimo e todos temos consciência. Vejo a digitalização processual como uma grande ajuda para a diminuição do consumo de papel e ajuda para a preservação do meio ambiente tão deteriorado. Que o Senhor, sendo Presidente, possa dar continuidade ao projeto de modernização do judiciário e consolidação de tantas mudanças. Grande Abraço.

  3. Como se não bastasse não plantar árvores no meio da Rodovia Bandeirantes, agora alargam, fazendo mais uma pista de rodagem.
    Onde se via, apenas verde, hoje já está poluida visualmente com propagandas .
    Isso uma pequena e triste amostra num local a olhos vistos por tantos.
    Imagino, ou melhor, tento imaginar, o que acontece nas nossas florestas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s