Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Estender a mão

3 Comentários

Um dos últimos eventos promovidos pela Corregedoria Geral da Justiça de São Paulo, que tive a honra e o privilégio de exercer entre 2012 e 2013, foi a formatura de um curso de “chefs” na Penitenciária Feminina da Capital. Iniciativa do juiz Jayme Garcia dos Santos Júnior, que contactou Alex Atala e o convenceu a promover essa pioneira experiência. Foi emocionante verificar o entusiasmo de ambas as partes.

Das mulheres que aprenderam que cozinhar não é somente fazer do ingrediente uma comida. É fazer de toda gente uma pessoa melhor. Elas já têm emprego garantido na parceria estabelecida entre a equipe de Atala e David Hertz, da gastromotiva, uma organização não governamental encarregada de resgatar seres humanos através da gastronomia. Num dos pronunciamentos, frisou-se que “o Facebook não é a maior rede social do mundo. A maior rede social existente é a gastronomia”.

Quem se devota à cozinha obtém resultados se mergulha com amor nessa missão. Ouvir os relatos das reeducandas emocionou a todos os presentes. A sociedade precisa se preocupar com o egresso. O crime é um fenômeno social. A perda dos valores, a dissolução da família, a desimportância da Igreja faz com que a delinquência se torne um problema epidêmico e tenha início cada vez mais cedo.

Se conseguíssemos educar – não instruir, dar escolas, dar informações – mas “formar o caráter” da criança e do adolescente, restituindo os valores que realmente merecem apreço, a infração penal não deixaria de existir. Mas seu número se reduziria a uma escala inimaginável. Ocorre que a mesma sociedade criminógena, que gera infratores cada vez mais novos, prefere o cárcere e não se importa com o dia seguinte à obtenção da liberdade.

Se é difícil para quem não tem antecedentes criminais obter emprego formal, imagine-se a luta de quem acaba de sair da cadeia. É óbvio que a vítima e sua família merecem cuidados. Mas também o infrator, principalmente quando ele já cumpriu a pena, já passou pelo sistema carcerário e está prestes a ser reinserido na vida comunitária. Alguém precisa estender a mão a ele. Foi o que Alex Atala, Daid Hertz e Jayme Garcia dos Santos Júnior fizeram. Palmas para eles!

JOSÉ RENATO NALINI é presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para o biênio 2014/2015. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br. Visite o blog no endereço https://renatonalini.wordpress.com e dê sua opinião sobre seus artigos.

Imagem

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

3 pensamentos sobre “Estender a mão

  1. Excelente, artigo!

  2. Que benção de trabalho. Deus os abençõe grandemente.

  3. Acho louvável as ações Nalini, principalmente por se tratar de mulheres, tão maltratadas por uma sociedade machista e escrota, pena que nossos políticos sejam tão hipócritas e gastem rios de dinheiro público com suas vaidades e não asseguram a prioridade, educação, saneamento básico, moradia. Ab!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s