Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Quem quer faz

10 Comentários

No país dos coitadinhos, onde todos querem tudo pronto, gratuitamente e sem esforço, não é fácil mostrar à juventude que o trabalho é essencial e sem ele nada tem verdadeiro valor. Mas de quando em vez, muito raramente, encontra-se um bom exemplo para provar que a vontade é a alavanca propulsora das conquistas.

Essa deveria ser uma obrigação das mídias: divulgar as melhores práticas e disseminar bons padrões de conduta. Com isso, crianças e jovens aprenderiam que o único lugar em que “sucesso” vem antes de “trabalho” é no dicionário. Na vida real, a ordem se inverte.

Pois bem. Márcio Villar, 46 anos, escreveu um livro em que narra suas vicissitudes. Ele exercia a função de analista de sistema e em outubro de 2012 foi mandado embora. A essa altura, já estava pronto o livro “Desafiando Limites”. É a história da vida de Márcio. Ele pesava 98kg e mede 1,73 m. Resolveu dar um “basta” à obesidade. Mudou o regime alimentar e começou a correr. 

Mas não se dedicou a uma corrida diletante. Passou a gostar tanto do esporte que se tornou ultramaratonista. É aquilo que supera os limites das maratonas. Uma maratona consiste em corrida de 42,195 quilômetros. Quando esse termo é superado e a pessoa consegue correr mais, mas muito mais, ele se torna ultramaratonista. 

Hoje Márcio tem títulos muito especiais. É o único atleta do planeta a percorrer 705 km na serra da Mantiqueira pela Ultramaratona dos Anjos e o único a correr 509 km na floresta Amazônica pela Jungle Marathon. Foi o primeiro corredor do mundo a completar o circuito internacional de ambientes extremos, com provas de 217 km em montanha, neve e deserto.

Mas como faz para sobreviver, se ficou desempregado? Ele não estava satisfeito com a oferta da editora: pagar 3 reais por livro que ela venderia por 30. Então montou uma loja virtual, vendeu 1.800 livros e diversificou o seu pequeno comércio. Hoje, a loja http://www.lojamarciovillar.com tem mais de 200 itens. 

Tem excelente saúde, faz aquilo que gosta e ainda ganha mais do que percebia como empregado. Tudo isso, porque tem aquela ferramenta que ninguém pode emprestar: força de vontade, garra, determinação, disposição. E você? Está contente com seu emprego ou acha que merece coisa melhor? 
 
JOSÉ RENATO NALINI é presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para o biênio 2014/2015. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.
 
Imagem
Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

10 pensamentos sobre “Quem quer faz

  1. Pois é,o esforço e o trabalho honesto valem a pena,pra que gastou dinheiro em apostilas,passou em duas fases disputada do TJ também,esperamos a mesma coisa sermos convocados.

  2. Perfeito o texto! No âmbito psicanalítico são milhares os coitadistas e “vampiros” que sugam em nome da posição que adotam de coitados. Quem quer faz! E vale ainda mencionar a regra número 34 dos beneditinos que nos ensina: É PROIBIDO RESMUNGAR! Vale a frase: Ao invés de resmungar do escuro vá e acenda uma vela. Abraços e parabéns pelo blog e textos interessantíssimos. Sucesso!

  3. Com persistência ,desejo de vencer e não ficar na zona de conforto ê que nos leva ao crescimento, lutar pelo melhor, os esforços são necessários e nunca desistir. São ingredientes necessários para o sucesso.

  4. Eu gostei Dr. todos nós temos valor e aceitamos desafios, eu por exemplo sou agente operacional do T.J./SP há 24 anos, faço muito mais do que a minha função exige e não estou tendo valor para o T.J. O Márcio é um exemplo sim, mais quantos maratonistas sem seu devido valor estão ocultos no tribunal. Gostei muito da palestra sobre cordialidade, pois, apesar de ser agente operacional, gosto de aprender, gostei quando ele falou que temos que olhar todos do mesmo ângulo, tenho grau universitário, mais não consigo que meus superiores dêem o devido valor. Sou telefonista da Comarca de VOTUPORANGA e por anos trabalho na administração fazendo Xerox, malote, compras, prestação de contas, enfim um pouco de tudo pois por muitos anos ficamos sem funcionários suficientes. Não se esqueça de nós Dr. Nalini… olhe-nos com igualdade. Boa noite e obrigado.

  5. ainda bem que ele não é funciona´rio do TJSP, pois aqui não há o que supere o desgaste e o desânimo com tanto descaso com os funcionários.Quase chorei com sua poesia, mas a minha realidade não de coitadinha, mas de trabalhadora explorada em mais de 12 hs. diárias não me permitem tantos luxos.

  6. os oficiais de justiça do tjsp tem um lema: se vc tem um sonho, coma logo, antes que a corregedoria inclua nas normas e divida em lotes….

  7. Adorei, lindo !

  8. Muito interessante esse blog, proverbial e axiomático desembargador José Renato Nalini. Nos espaços interregnos que tiver, quero participar dele com meus feedbacks. Estou fazendo um opúsculo de artigos que escreve na Folha de São Paulo. Mas a finalidade precípua dessa retaca participação e que, como o Sr. Márcio Villar possuiu ou ainda possui no seu léxico às três palavras teurgisticas como, força de vontade, determinação e persistência, em tempo peculiar, quero narrar como perdi 50 kilos, nas deambulações da vida, de um método que eu criei.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s