Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Vamos mudar o mundo?

5 Comentários

A sensação de insatisfação é generalizada. As más notícias lotam as mídias e o mal parece prosperar. Crise hídrica, crise energética, crise moral. Violência crescente, falta de confiança nas instituições. Previsão de tempos terríveis.

O mais fácil seria entregar-se ao desalento e permanecer inerte. Até que venha a bonança, pois é a sequência do vendaval. Mas existem aqueles que não se abatem. Todos um dia sonharam mudar o mundo. O sonho pode ter arrefecido, mas o mundo continua a necessitar de reformas.

A tendência natural seria acreditar que isso é impossível. Por isso, nem se tenta gerar mudanças. Só que pequenos gestos são fundamentais. A História mundial não é apenas a biografia dos grandes homens, como escreveu Thomas Carlyle. Os mais lúcidos perceberam que “um número infinitamente colossal de atos infinitamente minúsculos”, na concepção de Tolstoi, faz a diferença e a verdadeira História.

Todos somos irrepetíveis. A Humanidade é heterogênea. Para o ativista indígena americano Leonardo Peltier, “Cada um de nós é completamente essencial, cada um é totalmetne insubstituível. Cada um é o voto de minerva na batalha amarga pela eleição travada agora entre nossa melhor e pior possibilidades”.

O mundo precisa de compaixão. Podemos nos considerar impotentes para promover a mutação profunda e necessária. Ninguém é incapaz de exercer a compaixão para com o semelhante. Encarar o outro com respeito, atento à dignidade de cada ser humano. Compreender as misérias e procurar entender os erros e equívocos. Atuar corretamente, não perder a capacidade de indignação. Recordar-se de que o Estado é mero instrumento destinado a fazer as pessoas menos infelizes. Não é finalidade em si.

O que pode ser feito HOJE para melhorar a governança? Não há nada que possa ser feito individualmente? Todos sabemos que houve momentos em que não podíamos calar e nos quedamos inertes. E nos arrependemos disso. Urge fazer tudo o que puder ser feito para evitar idêntica sensação.

Fonte: Diário de S. Paulo | Data: 19/02/2015
JOSÉ RENATO NALINI é presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para o biênio 2014/2015. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

5 pensamentos sobre “Vamos mudar o mundo?

  1. Onde tem fé, tem esperança. Onde tem sonhos, tem planos. Onde tem força de vontade, tem união. Onde tem amizade, tem companheirismo. Onde tem cumplicidade tem afeto. Onde tem respeito tem fidelidade. Onde tem carinho, tem admiração. Onde tem amor, tem tudo isso.

  2. Impossível não ser inspirado, existem diversas coisas que sonhamos e aspiramos, e a satisfação da excelência da leitura, resultante do brilhantismo e plausibilidade de um excelente escrito, nos leva no mínimo a pensar e analisar a suavidade de expor e não influenciar, de nos deixar a escolha, como um simples: “a resposta está em suas mãos”.

    Ah como gostaria de ter, como invejo a coadunação das ideias e clareza de linguagem, a perfeição da pontuação, sem qualquer dos defeitos da linguagem, os tantos “fenismos” e erros de pontuação que possuo junto com uma maioria, que não possuem nem a oportunidade de tê-los num país de tantas discrepâncias. E aí se pode ver o merecimento de se ter sido presidente de uma academia. Sinto-me “gago” na escrita, mas agradeço pela oportunidade de ter acesso e ver a pontuação, a clareza, e as ideias em si, em uma suavidade que retrata o limite da excelência, onde posso consciente e inconscientemente pela prática da boa leitura, ver e aprender a boa escrita. E, ainda, poder deixar um comentário, que hoje não o chamo de comentário, mas sim de um agradecimento. Obrigado!

    E, ainda, mais UM ELOGIO AO SISTEMA DO PROCESSO ELETRÔNICO DO ESTADO DE SÃO PAULO, foi o primeiro e o único que evitou uma nulidade processual incorporada na Lei do processo eletrônico, relativamente à intimação dos atos processuais, passando e mantendo as intimações dos atos processuais no Diário Oficial do Estado, independetemente da previsão de intimação direta ao advogado. Pois preservou o princípio básico e fundamental da publicidade, pois as intimações dos atos processuais no Diário Oficial do Estado não são exclusivas para os advogados, SÃO OBRIGATÓRIAS PELO PRINCÍPIO DA PUBLICIDADE INERENTE AO DIREITO PÚBLICO. Parabéns TJSP.

  3. Quero mudar sim,iniciando pelo nosso destroçado Brasil. Pelos meus netos,volto ás ruas!

  4. Vamos reagir sim! Ainda que seja aos 49″ do 2º tempo; más estas dificuldades haverão de fortalecer a Cidadania, e assim conseguiremos antever as dificuldades futuras para planejarmos dias melhores.
    Muitos esperaram ações governamentais certeiras que nunca vem… e não virão.
    Muitos e Muitos tem esperanças de que atitudes, se não mudarem o mundo, mudarão seu lar, sua comunidade, sua empresa, seu clube, sua cidade seu estado, seus pais.
    Vamos gritar em alto e bom som aos des-governantes que aqui como cantou Ivan Lins é o meu País!

  5. “O mundo não muda as pessoas, as pessoas mudam o mundo!!!” Vamos ser pessoas como essas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s