Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Dom Agnelo

2 Comentários

Não somos um exemplo de povo que cultiva o passado e reverencia a memória. O imediatismo do mercado pensa sempre à frente. É lá que está o lucro, a mais genuína aspiração de todos os incluídos numa sociedade de consumo.

Nossos mortos só morrem de verdade quando nos esquecemos deles. Esse pensamento era constantemente realçado nas discussões da Academia Paulista de Letras por Maria de Lourdes Teixeira, a primeira mulher eleita para frequentar o cenáculo dos imortais bandeirantes. Enquanto houver alguém com saudades, todos aqueles chamados à eternidade ainda ocuparão espaço entre os viventes. Transitórios todos, pois o encontro definitivo é a única certeza.

Tais reflexões vieram a propósito de uma data pouco lembrada no ano passado. Dia 6 de novembro de 1964, a Nunciatura Apostólica anunciava à população de São Paulo que Sua Santidade o Papa Paulo VI havia transferido para a sé metropolitana da capital o Arcebispo de Ribeirão Preto, Dom Agnelo Rossi.

Foi ele o quarto arcebispo da História da Arquidiocese, em substituição ao Cardeal Carlos Carmelo de Vasconcelos Mota.

Dom Agnelo Rossi nasceu em Joaquim Egídio, Campinas, em 4 de maio de 1913 e morreu em Helvetia, Indaiatuba, em 21 de maio de 1995. Seus pais eram Vitoria Colombo Rossi e Vincenzo Rossi, moradores na Vila Arens, em Jundiaí. Os primeiros estudos do Cardeal foram em Valinhos, depois no Seminário Diocesano Santa Maria de Campinas e cursou Teologia na Universidade Gregoriana de Roma. Ali foi seu aluno de matrícula nº 1, do recém-criado Colégio Pio-Brasileiro. Em Roma foi ordenado sacerdote em 27 de março de 1937.

Foi secretário do Bispo D. Francisco de Campos Barreto e, com o Monsenhor Emilio José Salim, devotou-se à educação universitária. Foi o primeiro Vice-Reitor da PUC-Campinas e quando Cardeal em Roma, obteve para ela o título de Pontifícia.
Bispo de Barra do Piraí e Volta Redonda, Arcebispo de Ribeirão Preto, tornou-se Cardeal em 25 de janeiro de 1965. Foi um dos brasileiros mais prestigiados na Santa-Sé, continuamente mencionado como candidato a Papa. Continuou, até o final de sua existência, um fidelíssimo seguidor do paradigma Jesus Cristo.

JOSÉ RENATO NALINI é presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para o biênio 2014/2015. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

2 pensamentos sobre “Dom Agnelo

  1. A Sociedade está se transformando e embora temos um passado curto e menos glorioso que outras nações não recebemos educação para homenagear ancestrais e ou reverenciar figuras de relevância em todas as áreas, sejam na arte, ciência, filosofia, doutrina e religiões.
    Alguns homens serão lembrados pelos seu grandes feitos positivos e outros serão lebrados pelos feitos negativos de qualquer tamanho., curioso é saber que a maioria das pessoas não se lembram de fatos marcantes e recentes de nossa vida política por exemplo, más sabem da vida de artistas da TV, figuras do esporte etc.
    Fiz uma pesquisa de Tancredo a Dilma para saber quem executou ou cumpriu alguma promessa: só sobrou o Itamar!
    Pesquisei também como se dá o enfrentamento nas eleições dos USA e pude saber que usam as mesmas armas letais na guerra das eleições, onde vulgaridades, mentiras, traições, desrespeito e ofensas de todo tipo são o carro chefe.
    Voltando ao tema, recordar é viver já cantaram, saudades….. lembranças, memórias..saudosos amigos…saudosos e relevantes e valorosos mortais; serão substituídos más jamais esquecidos.

    • Concordo com você Ariovaldo Turra. Em especial, no recorte “Alguns homens serão lembrados pelos seu grandes feitos positivos e outros serão lebrados pelos feitos negativos de qualquer tamanho.”

      Por isso os nomes de praças, palácios, ruas e tudo que se remeta aos bens públicos devem ser revistos, reformados.

      Essa é também uma reforma emergencial. Isso em nome da ética, moral, bons costumes e acima de tudo RESPEITO aos brasileiros.

      É prática corriqueira no Brasil se dá aos bens públicos nome de pessoas corruptas ou até mesmo nome de seus familiares – que nem sequer moveu uma palha para colaborar de algum modo com esse País . Reforma urgente também para esse fato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s