Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

O centenário de d. Yolanda

6 Comentários

Hoje, exatamente hoje, 17 de setembro de 2015, Yolanda Pierruccini Martins completa seu centenário. Com saúde e sob assistência contínua e carinhosa de seu filho José Eduardo, o médico “Penaforte”, que vem a ser meu amigo, antes de ser meu cunhado, pois casado com minha irmã Raquel.

As conquistas da medicina propiciam evidente acréscimo na longevidade. Dentro em poucos anos, haverá muitos centenários comemorados em vida, e não como celebração pelos cem anos de alguém que já partiu.

À evidência, viver muito não oferece apenas alegrias. É assistir à partida de seres queridos. D. Yolanda perdeu o marido, José Penaforte Martins e também seu filho caçula, José Roberto, além de todos os irmãos: Renato, Renata, Alice, Pia. Perdeu sobrinhos: Armando e Elcio Guerrazzi. Perdeu amigas e amigos. Faz jus ao brocardo: “Viver muito é colecionar perdas!”.

Mas os desígnios da Providência são insondáveis. Alguns morrem cedo. Outros têm uma vida mais longa. Para os crentes, não há espaço para lamentações. Todos temos nossa missão e, enquanto vivermos, é preciso aguentar a cruz, o peso das atribulações, bendizer à Providência que nos concedeu o bem da vida e prosseguir. Enquanto há vida, há esperança.

Muita gente nasceu em 1915 e poucos conseguiram chegar a 2015 com vida. Meu pai, Baptista Nalini, nasceu em 26/11/1915. Mas partiu há muitos anos. Morreu em 1992, de tristeza por haver enterrado o filho caçula, João René, morto em 1989.

Famosos e anônimos nasceram em 1915. O Ministro José Geraldo Rodrigues de Alckmin, tio do governador Geraldo, a atriz Ingrid Bergman. Edith Piaf, Orson Welles, Goffredo da Silva Telles e tanta gente mais.

Mas nasceu também Yolanda Pierruccini, que foi professora e educou gerações de jundiaienses. Viu Jundiaí crescer e se transformar. Os costumes se deteriorarem. A educação se vulgarizar. A cidade ficar menos civilizada. O centro perder sua feição nobre e se tornar mais padronizado e feio, como ocorreu com tantas outras cidades. Mas está viva, graças aos cuidados de seu filho médico, José Eduardo Martins, exemplo de respeito aos pais. Quando tantos preferem os asilos, ele mostra que é possível ter perto de si aqueles que nos deram a vida e aos quais devemos gratidão e afeto. Parabéns, D. Yolanda!

JOSÉ RENATO NALINI é presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para o biênio 2014/2015. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

6 pensamentos sobre “O centenário de d. Yolanda

  1. Certamente muitos destes futuros centenários serão nomes de ruas, praças, pontes, bibliotecas mais improvável, teatro e estádios nem pensar, agora eles tem nome de patrocinadores, alguns terão seu nome numa sala de espetáculos, numa obra artística ou num monumento ou numa dependência ou departamento qualquer de uma universidade qualquer; escolas não! já não se constroem mais escolas!
    Justa homenagem? Creio que não.
    Escreveu Mario Quintana: “Era um grande nome. – ora que dúvida! Uma verdadeira Gloria. Um dia adoeceu, morreu, virou rua….E continuam a pisar em cima dele.
    Por tanto, antes de partir……lembrando o filme com Morgan Freeman e uma palestra de Mario S. Cortella…Qual é sua Obra? – Nos coloquemos em permanente reflexão!

    • Bom dia Ariovaldo! Que lindo o que escreveu!

      Sim, pouco sempre será aos que muito contribuíram. Mas, quando deixamos nossa obra, impossível será sermos esquecidos! Amo de paixão o Mestre Cortella e seu baú de sabedoria. Ele é muito simples e certeiro sempre em tudo que diz. Agora o filme, qual? Se não assisti ainda, quero. Fds fico procurando filmes para baixar pela internet. Hoje programei um que me recomendaram: Os girassóis da Rússia. Se não me falassem a história, já me agradaria pelo nome. rs. Amo girassóis! Depois da delicadeza das rosas, minha flor favorita. O girassol é alegre e como a mim, vive melhor quando com um raio de sol!

      Um grande abraço. Um excelente fds a vc e família. OBs.) Tirei o Sr. de tudo aqui me recorrigindo, pois vc me autorizou… Mas, pais educaram assim, e hoje nunca sei quando usá-lo agradando sem desagradar. rs. E alguém lendo aqui, não entenderá a minha falta de cordialidade contigo.

      • Oi Camila, muito obrigado é sempre bom ver seus comentários, além de excluir o (sr.) pode usar o diminutivo também (Ari) não me sinto desrespeitado nem diminuído.
        O filme é de 2007 além do Morgam a estrela é também Jack Nicholson.
        Abraço fraterno a família Vaz!

    • “Xá” comigo que o chamarei sim, assim.

      Sim, acho que é The Bucket List – Antes de Partir. É lindo mesmo! Vou colocá-lo em minha lista de vale a pena ver de novo Ari. Obrigada.
      Outros a vc e família.

  2. Que lindo! 😢

    Parabéns a senhora Yolanda! Parabéns ao filho e nora pelos cuidados para com ela. Lindo demais!

  3. Presidente José Renato Nalini, o texto é memorialista e sensível. Parabéns a Dona Yolanda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s