Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Sementeiras de inovação

6 Comentários

Ninguém hoje pode negar os fatos: o Brasil atolou em lamaçal produzido pela destruição da ética. A causa única das crises é a falta de consciência em relação às responsabilidades sobre todos impostas para o convívio menos conflituoso que se possa exigir entre os homens.

Eliminadas as barreiras morais, tudo se torna possível. O descalabro tomou conta e não se pense terminará com as operações policiais e judiciais ora em curso. Espanta ver a desenvoltura com que os malfeitores – pois agora a corrupção não se denomina “mal feito”? – continuam a agir.

Resta àquele que não teria nada a ver com isso, ao menos diretamente, mas que tem de pagar a conta, assumir as rédeas da Nação.

Não se espere reforma política de quem não tem interesse em mudar o quadro. Cabe invocar uma vez mais Lampedusa: as pequenas mudanças têm o intuito de deixar tudo como era antes e como sempre foi.

A sobrevivência dos normais passa a depender de um protagonismo com o qual o Estado tem pouco a ver. Como seria bom se o governo não atrapalhasse a iniciativa privada! Tudo poderia ser e, com certeza, seria muito melhor.
O naufrágio político e econômico, subproduto amargo da derrocada moral, só não será completo se a sociedade reagir. E sociedade é aquela que não tem por si o Erário. Que não tem garantido o seu salário, produza com eficiência ou não, tenha ou não consciência do verdadeiro papel de cada agente estatal.

É urgente se reciclar. Assim como o fez, por exemplo, a IBM. Vendeu máquinas de datilografar, aperfeiçoou-as, com as esferas que mudavam as fontes. Grande progresso! Mas as Tecnologias de Comunicação e Informação tornaram obsoleta a máquina de escrever. Hoje, no computador ou em qualquer bugiganga eletrônica, se produz texto com a qualidade que nunca se ousou sonhar. E o que fez a IBM? Ficou chorando, lamentando a perda do mercado? Não. Converteu-se numa plataforma de criação de tecnologia visionária para resolver problemas contemporâneos.

As tecnologias disruptivas constituem um desafio. Mas não é preciso ser uma gigantesca IBM para encontrar um nicho de subsistência digna. Quando penso em “sementeiras de inovação”, estou a contemplar a criatividade de jovens – em espírito – que encontram alternativas de sobreviver com dignidade, a partir de seu trabalho, esforço, sacrifício e empenho, a despeito das trapalhadas que o governo insiste em semear no caminho do empreendedor.

JOSÉ RENATO NALINI é presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para o biênio 2014/2015. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

6 pensamentos sobre “Sementeiras de inovação

  1. Caro Renato ,
    Mesmo longe do raciocínio diário de minha profissão , tem sido um deleite de alma poder acessar em certas noites , suas sempre animadoras reflexões aos jovens e adultos, abertos a refletir antes de agir . Imediatismo comunga com atitudes impensadas , sem reflexão . Você tem nos animado em suas breves linhas a nos tornar cada dia mais críticos , OLHAR E REFLETIR , depois agir . Isso vem me inspirando em minhas decisões diárias médicas , pessoais , familiares ; refletidas nos seus filosóficos , mas também práticos pensamentos universais . Obrigado. Sergio Macedo

  2. Como gosto de seus textos!

  3. Sou escrevente. Nasci na maquina de escrever e hoje navego com um computador. Ah…Se as mentes humanas respeitassem os limites da Etica…Deus proveria de Felidade, de Paz, de Alegria tudo que ele ja prove ao homem para transformar sua cinetica realidade em inovaçoes constantes.

  4. O problema nunca foi a falta de inovações. No funcionalismo público por exemplo, muitas vezes é mal visto pela sociedade, pois devido a estabilidade, não se renovam os quadros de funcionários (alguns são obviamente lerdos, inoperosos, ficam o dia todo na internet o que mostra que não produzem etc), com a mesma velocidade que se operam a modernização das estruturas. E de que adianta a melhor tecnologia se for operada por palermas? Dinheiro publico sendo desperdiçado.

    • Faço coro com a Anne, alguns funcionários públicos acham a garantia de emprego é igual imunidade parlamentar, nunca dá nada, e eles jamais conseguirão fazer o melhor! , ainda que tenham as ferramentas da inovação na cara.

  5. Parabéns à Vossa Excelência, doutor José Renato Nalini, que demonstra ser um juiz na vanguarda da modernidade, sou do Rio de Janeiro e tive conhecimento do seu blog este ano através de amigos do TJ/RJ. Forte abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s