Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Animal também é gente

2 Comentários

O amor que une pessoas e animais sempre existiu. Quem possui um bicho de estimação conhece a intensidade do sentimento que une duas espécies vivas. O livro “Beyond words: what animals think and feel” (Além das Palavras: o que os animais pensam e sentem), do ecólogo Carl Safina, da Universidade Stony Brook, ainda não foi traduzido no Brasil. Mas enfrenta um tema que muitos já superaram: só por preconceito as pessoas evitam dizer que os bichos também têm vidas mentais e emocionais. Muitas vezes, quase tão complexas como as nossas.

É verdade que “só seres humanos possuem mentes humanas. Mas acreditar que só seres humanos possuem mentes é como acreditar que, uma vez que só pessoas possuem esqueletos humanos, só pessoas têm esqueletos”, diz Safina.

As provas de fidelidade canina, a sinergia entre o cavaleiro e seu cavalo, a linguagem silenciosa do gato e seu dono, tudo mereceria análise aprofundada. Mas a proposta de Carl Safina é demonstrar que a ciência tem condições de concluir pela existência de vida mental e emocional dos irracionais. Aliás, a cadeia genômica também comprovou existir diferença mínima entre o homem e os demais animais.

Três mamíferos de vida social complexa orientaram as pesquisas que resultaram no livro do ecólogo. Os elefantes africanos, as orcas do Canadá e os lobos de Yellowtone. Os mamíferos sociais têm personalidades bem definidas e muito características. O lobo conhecido por “Vinte-e-Um” é uma lenda entre os biólogos do Parque Nacional Yellowstone, porque nunca foi derrotado, já lutou com seis lobos simultaneamente, mas nunca matou um adversário. Gostava de brincar com filhotes e fingir que eles ganhavam o confronto.

Uma grande matriarca dos elefantes africanos morreu de causas naturais e sua mandíbula foi levada por pesquisadores para estudo em seu acampamento. Semanas depois, a família da fêmea passou por lá e foi diretamente em direção ao osso, manipulando-o carinhosamente por vários minutos. E há muitos outros exemplos.

Compreende-se, portanto, os vegetarianos que se condoem do sofrimento do gado e não comem carne vermelha, ou boicotam o foie-gras, obtido mediante sacrifício desumano dos gansos.

JOSÉ RENATO NALINI é presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para o biênio 2014/2015. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

2 pensamentos sobre “Animal também é gente

  1. Concordo e os animais não são traidores.
    Sempre convivi com cães e gatos., e eles sempre se entenderam.
    Cães são inteligentes, percebem e identificam a distância, quem esta chegando, se de carro, bicicleta ou a pé.
    Demonstram a alegria de nos ver sem condicionantes.
    Aqui já tivemos um Toby e uma Bigulina, viveram 16 anos, quando partiram, de velhice, logo adotamos mais dois, igualmente de pedigree Frances… Tombê de Lixô, charmosos vira-latas: Caramelo e Pepê.
    Junto com eles, adotivos também, e de mesmo pedigree, temos os felinos: Chica, Janjão, Côco, Gorda,
    Ktatika., todos astutos, temperamentais, que sempre nos fazem sorrir., merecem todos os cuidados e nosso especial carinho.
    A Chica chegou no ano 2000 totalmente preta, adotada na Divisão de Zoonoses tinha sido atropelada e abandonada lá, hoje é uma senhora com um olho deficiente por se esconder na mata.
    Janjão, totalmente branco um ano mais jovem, nasceu numa chácara com mais cinco, que se tornaram selvagens, hoje não tem parte do sistema urinário as orelhas, parte do focinho, resistiu a dois atropelamentos, é albino o sol o castiga muito., entende quando pedimos que saia do sol.
    Côco bicolor, tem mais ou menos 6 anos, foi nos entregue pelo vizinho sob a alegação de que: se temos gatos no quintal todos os que aparecem são nossos!
    Eles atendem pelo nome, e se chamados para escovação, aplicação de remédio, sabem e gostam e por aí vai.

  2. Tenho depressão, e depois que ganhei a minha cachorrinha eu melhorei, eu ocupo meu tempo com ela, ela me anima, não me deixa quieta um segundo, quando estou chorando é impressionante o que ela faz, ela tenta subir em mim, faz de tudo para chamar a minha atenção, para que eu pare de chorar, com certeza animais são os melhores amigos que podemos ter.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s