Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Idoso, porém vivo!

4 Comentários

Convivi, numa época de minha juventude, com pessoas maravilhosas. Uma delas, Lupe Cotrim Garaude, linda poeta de olhos verdes e talento ainda mais belo. Acometida de câncer e intuindo fosse morrer, escreveu um poema: “Aceitarei a velhice”. Assim que o compôs, leu para os convivas de Dulce e Victor Geraldo Simonsen, no “clubinho” da Fazenda Campo Verde. Foi impossível deixar de chorar.

Lembro-me dela quando vejo o avanço da longevidade propiciada pela ciência e pela tecnologia. Pena que nem todos têm acesso a tais conquistas. Mas leio que Don Pellman, num evento de atletismo no final de setembro, ficou frustrado ao fracassar em três tentativas de salto com vara. “Pensei que eu estivesse em melhor forma”, explicou ele ao “The New York Times”.

Nada de interessante, a não ser a constatação de que ele está com 100 anos de idade. Mais tarde, marcou cinco recordes mundiais e tornou-se o primeiro centenário a completar a prova de 100 metros em 27 segundos e o primeiro a superar uma altura oficial no salto, sem mencionar a quebra de recordes para sua faixa etária em arremesso de peso e salto a distância. Sua obstinação é uma das razões das vitórias nos 127 eventos de atletismo dos quais participou desde que se aposentou em 1970.

Querer viver é o principal. O segundo é conseguir pagar um plano de saúde, pois o SUS ainda é um ponto nevrálgico nesta República em que alguns têm tudo, muitos não têm nada. A idade é algo bastante relativo, pouco ainda compreendido pelos jovens. Estes pensam que ficarão eternamente na juventude. Etapa tão fugaz, tão ilusória, tão semelhante às demais fases.
Sou nostálgico, porque tive uma infância ingênua.

Simples, mas bonita. Fui alvo de muito carinho, principalmente de minha mãe, minha avó materna, meus tios e primos, todos do lado de mãe. Assim que “descobri o mundo”, escolhi meus próprios amigos e formei com eles uma verdadeira família afetiva. Alguns deles, a Providência já chamou.

Chego a pensar que “do outro lado” o número de pessoas queridas é maior. Mas há compensações. Netos lindos, filhos amorosos. Bons e verdadeiros amigos. Mais do que mereço. Aceito a velhice, porque a alternativa teria sido muito ruim: morrer jovem.

JOSÉ RENATO NALINI é presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo para o biênio 2014/2015. E-mail: jrenatonalini@uol.com.br.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

4 pensamentos sobre “Idoso, porém vivo!

  1. “Idoso, porém vivo!” – E o senhor (senhor não pela idade, mas o chamo por educação – já que antes, assim era considerado educado), mas continuando…, que bom que o senhor está REALMENTE vivo!!! Isso o que importa!

    TRANQUILO aceitar a velhice em lugar da morte, o inaceitável é aceitar a morte enquanto vivo!

    Cortella já disse:

    “A tragédia não é quando um homem morre. A tragédia é o que morre dentro de um homem quando ele está vivo. Eu não estou preocupado com a morte, mas com a vida, para que ela não seja banal e fútil. Quando você se for, o que vai deixar?”

    Verdade não? A vida se encerra quando desistimos dela e não com a idade cronoçógica ou falência do corpo físico. Tudo tem fim quando fechamos as portas para as alegrias do hoje, e nos entregamos a saudade do passado ou ao medo desenvolvido pela contagem regressiva dos dias futuros.

    Um único ano meu poderá ser mais ou menos útil e prazeroso do que de muitos! Não importa o tempo, mas sim como encaminhamos cada minuto.

    Há quatro anos atrás, por conta de um probleminha renal nem tão grave, eu cheguei a pensar que poderia morrer, em pleno meus poucos 31 anos. Um medo de ter deixar minha filhota. Bom, coisas de mãe… MAS, COMO FOI BOM TAL EXPRIÊNCIA! Aprendi que não há idade também para isso, e que estatísticas são válidas quando não estamos naquela minoria que determinaram como possível de ser atingida. Não importa os 99% quando estamos no 1%.

    Bobagem a preocupação, pois nada se renova a partir dela. Pelo contrário, mas tempo perdido que poderia ser bem melhor aproveitado.

    Não sei se um dia direi: idosa, porém viva! – Mas sei que direi viva enquanto viva! O importante é saber o que importa… Viver minhas responsabilidades como escada do desenvolvimento, mas nas horas vagas, viver os melhores momentos e recordações que me façam sentir realizada em todos os sentidos!

    Tenho UM pai com 59 anos e é o mocinho mais agitado de uma festa. Dança qualquer música, carismático por demais com todos… No trabalho, das 5hs da madrugada às 22 hs. todos os dias. Durante o dia visitando obras. À noite, analisando orçamentos e contratos. Na vida pessoal, há quase dois anos em uma união estável como moça de 23 anos. O mais engraçado, que olhando e analisando o casal, não percebemos nada em desalinho. A alma DELE permaneceu jovem! E como não tem tempo e nem espaço ao preconceito alheio, vive a sua felicidade e com minha benção em tudo: sim! Quero ele mais que vivo, quero ele vivo VIVO! Não morto VIVO!

    No mais, tenho uma certa dificuldade em falar de matéria, corpo físico. Meu oftalmologista diz que enxergo bem, 0,50 de deficiência de longe no olho esquerdo tão-somente, mas… tenho total certeza que não enxergo como todos, rs. Não me pergunte de aparência e seria uma negação ao ter de fazer um retrato falado de um marginal. Meu foco sempre está na alma e não no externo! JOVENS, ADULTOS OU IDOSOS… O QUE IMPORTA? IMPORTA O QUE IMPORTAMOS. E EU GOSTO DE IMPORTAR O QUE REALMENTE IMPORTA = O que SIGNIFICA ELA A MIM e sempre significará independente da idade, presença física ou obrigatória partida futura!

  2. Drº Naline, sempre me preocupei muito com a velhice, hoje me sinto tranquila com relação ao tempo.
    Sempre gostei de conversar com pessoas idosas, para aprender com elas as experiências que na vida adquiriram.
    Hoje porém, poucas são as pessoas que ao chegar a idade avançada permanecem com a mente sã para passar as experiências adquiridas.
    Além do corpo físico, necessário se faz, manter o cérebro a mente em bom estado.
    Confesso que luto para que assim seja, pois nos tempos atuais é bem difícil. A nossa vida na cidade é tão corrida, tantas são as preocupações e os problemas.
    Creio que melhor nos disciplinar e arranjar um tempo para o contato com a natureza, com a meditação.
    Um antigo médico japonês me deu um texto para ler, certa ocasião que dizia.
    ” Ah, quão efêmera é a vida, devemos viver intensamente cada segundo, pois o tempo não espera ninguém.
    Façamos da vida um sonho, e do sonho realidade”. (autor desconhecido)
    Lembrei-me também que em certa ocasião um senhor bem idoso, que trabalhava muito em prol de pessoas necessitadas de várias matizes, chegou ao médium Chico Xavier e disse:
    Chico estou muito idoso e minha vida está por um fio, estou pensando então em parar de trabalhar! O que você acha?
    Bem, disse o Chico Xavier, eu acho que você não deve parar não, porque o Drº Bezerra de Menezes (espirito recebido por Chico Xavier) está aqui me dizendo, que quando a vida está por um fio, quanto mais você trabalha, mais o fio engrossa!
    A época mais feliz da minha vida é o hoje, tive uma infância difícil, juventude também e agora com quase 60 anos já aposentada, iniciei em nova profissão e quero que meu fio engrosse bem! Para mim ser jovem é um estado de espírito. Lembrei-me agora de que certa vez, uma tia (já chamada pela providência), me disse que ela não se enxergava! Eu perguntei como assim tia? Ela então me disse que não gostava de estar com pessoas idosas (ela tinha mais de 80 anos) que gostava de ficar no meio de jovens, dar risadas e se sentia imensamente feliz, não entendia isso, então, entendi e já tinha eu lido a respeito, ela era um espírito jovem, podia passar o tempo que passasse. Abraço Grande!!!

  3. Viver é deixar um legado, não só para a família, mas para todas as pessoas as quais temos o alcance.
    Deus nos dá o livre arbítrio , mas quem escolhe viver ou morrer é o ser humano, e ele é capaz de atribuir suas escolhas, sejam elas positivas ou negativas, influencia toda uma sociedade ou nação
    Muitas vezes de forma egoísta não percebemos , que , quando optamos, também de forma indireta escolhemos o destino de um País.
    Mas ter longevidade é uma receita bem antiga e para quem acredita , está no Velho Testamento, em Êxodo 20:12 Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias *na terra* que o SENHOR teu Deus te dá.
    Dentro de um lar de amor e disciplina onde a figura materna e paterna se fazem presentes onde devemos prestar atenção que na vida também existe um Deus de amor, o cuidado com o corpo e a mente é fundamental, pois precisamos dele, para ir bem longe e fazer da nossa vida, um palco de sucesso,e que outras pessoas nos vejam como exemplos a ser seguido.

  4. Querido Presidente – chamo-o de querido, pois, apesar de um fato triste ter me trazido a este blog, a forma com que escreve revela um homem atencioso, cordial e amigo. Gostaria de fazer considerações singelas sobre esta questão relacionada à longevidade alcançada nos dias de hoje, proporcionada pelos avanços da medicina…bem, isto é maravilhoso, não? Mas temos o lado obscuro, que é privar um ser humano de ter uma vivência e a morte que naturalmente lhe cabia. Às vezes a medicina prolonga um sofrimento e não uma vida feliz. A velhice só é boa, se tivermos oportunidades de usufruí-la nas suas limitações, porém com plenitude.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s