Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Ciao, Sandro!

Deixe um comentário

Estrutura sólida em erudição, evidenciava o DNA peninsular de uma civilização que dominou o mundo por um milênio. Era escancarada a consistência de sua cultura, que sustentava mediante contínua leitura e aprimorava com os textos diários.

SANDRO entendia de tudo: história, política, cultura e futebol. Simples e tranquilo. Falava coisas sérias com serenidade. Enxergava longe, poderia ter sido um articulador de políticas públicas, não se mantivesse longe dos holofotes, a cumprir fielmente a sua missão. A qualidade de sua escrita já constitui um alentado curso de redação e de jornalismo.

O salto qualitativo que imprimiu ao Estadão durante 2000/2006 é o testemunho da sua excelência profissional. Era humilde e atento aos detalhes. Lembro-me de uma vez em que telefonei a ele, comentando uma pequena inserção no Estado, sobre o falecimento de uma ex-vedete dos bons tempos, que teria sido membro da Academia Paulista de Letras. Embora mínima a notícia, causou furor entre os imortais do Largo do Arouche. Ele apurou quem havia noticiado e no dia seguinte a correção estava lá, a comprovar o seu apego à verdade.

Convivi menos com Sandro do que gostaria. Nada obstante, os encontros eram proveitosos e intensos. Estive em sua casa durante um sarau delicioso, ele e Vera estiveram na minha chácara, numa reunião que parecia um cenáculo: todos vaticinando o que aconteceria para o Brasil, ele predominando com sua leitura lúcida e sensata sobre o mundo.

Onde estiver, sei que vai procurar José Eduardo Borgonovi e Silva, o “Castor”, outra perda precoce para o jornalismo e para a verdadeira sapiência existencial, assim como Daniel Piza, seu colega de Estadão e outro jornalista completo, que tanta falta faz aos que gostam de uma leitura sedutora, de cuidadosa elaboração e com extrema fidelidade ao real.

A vida dos três foi intensa e sua presença continua na memória de quem teve o privilégio de conviver com eles. Mas acompanhar Sandro e seus comentários originais, criativos e gostosos nas redes sociais será um hiato doloroso, que só deixará de existir quando pudermos nos reunir novamente numa outra esfera, que ouso esperar seja definitiva e sem novas separações.

Fonte: Jornal de Jundiaí | Data: 07/04/2016
JOSÉ RENATO NALINI é secretário da Educação do Estado de São Paulo. E-mail: imprensanalini@gmail.com.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s