Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Você sabe gastar?

1 comentário

O mundo se tornou um ambiente confuso para quem se acostumou a satisfazer todos os desejos, mas não tem condições econômicas para tanto. A era do consumismo, do egoísmo, do hedonismo e de outros “ismos” faz com que a criança pense que tudo é possível, que seus pais são obrigados a atender a qualquer exigência e que se não há dinheiro, que se utilize o cartão de crédito.

Enquanto isso, a escola continua a transmitir o mesmo conteúdo que sempre transmitiu. Insiste nas aulas prelecionais, na avaliação baseada na memorização, às vezes em evidente descompasso com a vida. Compreende-se a resistência a enfrentar novos temas, pois a mudança é traumática. Inovar custa rearranjo mental, mais doloroso do que mudança física. Mas é preciso ter coragem para reconhecer que é urgente fazer com que a escola prepare para a realidade e não para o mundo que já não existe.

 As crianças precisam ter contato com a verdade das finanças. O Brasil não tem cultura da poupança. As pessoas pensam que nunca ficarão doentes, que nunca envelhecerão. Mas quando chega uma ou outra de tal situação, o governo estará a postos para socorrê-las. A situação calamitosa da previdência é resultado dessa falta de consciência. Só a educação poderá – e isso a longo prazo – corrigir a distorção.

O CONEF é o Comitê Nacional de Educação Financeira, integrado por quatro órgãos reguladores financeiros: SUSEP, CVM, Banco Central e PREVIC e quatro Ministérios: Justiça, Previdência, Educação e Fazenda. Além de quatro representantes da sociedade civil: Anbima, BMF&Bovespa, CNseg e Febraban. Incumbe a esse Comitê instituir e operacionalizar a educação financeira no Brasil.

É urgente fazer a criança pensar em como administrar dinheiro, além de prepará-la a obter, com seu trabalho, iniciativa, criatividade e empreendedorismo, o dinheiro de que necessitar para sobreviver. A educação financeira é mais importante do que a continuidade de transmissão de alguns conhecimentos que não serão utilizados durante a trajetória existencial do alunado. As finanças precisam ser incluídas no currículo escolar. Só essa postura mudará a cabeça do brasileiro quanto ao endividamento, quanto ao despreparo, quanto à previdência e quanto à necessidade de pensar no futuro. Como sempre, a educação é a chave de todos os problemas brasileiros, seja na visão macro, seja na visão micro.

Saber ganhar e saber gastar evitaria muitos dos problemas existenciais dos brasileiros de hoje. Vamos oferecer aos de amanhã o instrumental para o enfrentamento mais saudável de tais situações que angustiam e paralisam famílias endividadas, sem recursos e sem horizontes.

Fonte: Diário do Grande ABC | Data: 24/09/2016
JOSÉ RENATO NALINI é secretário da Educação do Estado de São Paulo. E-mail: imprensanalini@gmail.com.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Um pensamento sobre “Você sabe gastar?

  1. Mestre Nalini, realmente muito confuso. Parabéns.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s