Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Comunicação Indireta

1 comentário

Nem sempre conseguimos exprimir exatamente o que queremos. Ou o que nos vai n’alma. Porém, lendo textos alheios, podemos sentir a experiência de encontrar aquilo que gostaríamos de dizer. Sempre escrito de maneira até mais elegante, expressiva e convincente. Quando isso acontece, a vontade é se valer das palavras alheias para transmitir o sentimento intraduzível. Foi o que Pierre Hadot (1922-2010) fez ao final do livro que precisa ser lido por aqueles que ainda têm dúvida sobre a valia do estudo filosófico para a verdadeira formação humanística. O livro é um conjunto de entrevistas desse filósofo e  historiador de filosofia do Collège de France, estudioso de filosofia antiga, instigado por Jeannie Carlier e Arnold I. Davidson: “A Filosofia como maneira de viver” (São Paulo, É Realizações, 2016).

Depois de dissecar seu pensamento, satisfazendo a curiosidade daqueles que se encantam com seus livros que tratam de Marco Aurélio ou de Plotino, do estoicismo e da mística, tem-se a mais absoluta certeza de que a filosofia não é a construção de sistemas, mas a escolha de um modo de vida. É a experiência pessoal que visa produzir um efeito de formação, um exercício a caminho da sabedoria.

Ao final, no posfácio, Pierre Hadot cita autores que não quis apenas mencionar nem comentar. “Comentá-los seria tirar-lhes o sabor. Eles falam por si só. Assim me comunicarei uma vez mais com meu leitor, ,as de modo indireto”. Começa com Tchuang-Tse: “Eu conhecia do Tao apenas o que dele pode conhecer uma mosca de vinagre encerrada numa cuba. Se o mestre não houvesse levantado minha tampa, eu continuaria a ignorar o universo em sua integralidade grandiosa”. Quantos de nós somos “moscas de vinagre encerradas numa cuba”? Pensamos que sabemos tudo. Temos opiniões pré-formadas, pré-compreensões, julgamos  abruptamente, aceitando teorias de conspiração e presumindo a má-fé. Quem é que levantará a tampa que nos mantém ignorantes da verdade?

Fonte: Diário de S. Paulo | Data: 20/10/2016
JOSÉ RENATO NALINI é secretário da Educação do Estado de São Paulo. E-mail: imprensanalini@gmail.com.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Um pensamento sobre “Comunicação Indireta

  1. Parabéns, meu querido Secretário, pelo belíssimo artigo.

    Tales Castelo Branco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s