Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Ser criança é legal

1 comentário

Importante promoção da Justiça do Trabalho, pelo TRT da 15 ª Região-Campinas e pelo MPT – Ministério Público do Trabalho, quanto à vedação ao trabalho infantil. Durante a abertura da Semana da Criança, no Santuário de Aparecida, o ministro Ives Gandra da Silva Martins Filho, presidente do TST, lançou a “Carta de Aparecida”, com a exposição de motivos pelos quais a criança deve brincar e estudar, não trabalhar.

Elencam-se dez razões pelas quais a criança não deve trabalhar:
1) crianças ainda não têm seus ossos e músculos completamente desenvolvidos. Correm maior risco de sofrer deformações dos ossos, cansaço muscular e prejuízos ao crescimento e ao desenvolvimento, dependendo do ambiente e condições de trabalho a que forem submetidas.
2) Crianças têm maior frequência cardíaca do que os adultos para o mesmo esforço. Por isso, ficam mais cansadas.
3) A ventilação pulmonar é reduzida. Por isso, crianças têm maior frequência respiratória, o que provoca maior absorção de substâncias tóxicas e maior desgaste do que os adultos.
4) A exposição da criança às pressões do mundo do trabalho pode provocar diversos sintomas: dores de cabeça, insônias, irritabilidade, dificuldade de concentração e memorização. Além disso, o cansaço físico pode causar problemas psicológicos tais como o medo, a tristeza e a insegurança.
5) Crianças têm fígado, baço, estômago e intestinos em desenvolvimento, o que provoca maior contaminação pela absorção de tóxicos.
6) O corpo da criança produz mais calor do que o dos adultos quando submetido a trabalhos pesados, o que causa desidratação e maior cansaço.
7) Criança tem a pele menos desenvolvida, mais vulnerável que os adultos aos efeitos dos agentes físicos, mecânicos, químicos e biológicos. 8) Criança possui visão periférica menor, com menos percepção do que acontece ao redor. Além disso, os instrumentos de trabalho e equipamentos de proteção não foram feitos para seu tamanho. 9) Criança tem maior sensibilidade a ruído do que o adulto.

As perdas auditivas são mais intensas e rápidas. 10) O trabalho infantil provoca tríplice exclusão: na infância, que perde a oportunidade de brincar, estudar e aprender; na idade adulta, pois perde oportunidades de trabalho por falta de qualificação profissional; na velhice, pela consequente falta de condições dignas de sobrevivência.

Vamos fazer com que as crianças brinquem, estudem numa escola divertida e lúdica e só trabalhe quando estiver apta, formada para tanto e encare o trabalho como oportunidade singular de se tornar feliz e não como castigo destinado a todos os humanos.

 Fonte: Jornal de Jundiaí | Data: 06/11/2016
JOSÉ RENATO NALINI é secretário da Educação do Estado de São Paulo. E-mail: imprensanalini@gmail.com.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Um pensamento sobre “Ser criança é legal

  1. Leio sempre seus posts, mas hoje, especialmente, quero dar-lhe os parabéns pelo texto sobre trabalho infantil. Faço parte da Diretoria da Amatra17 (Associação dos magistrados do Trabalho da 17a.Região-ES) e trabalho no Projeto “Trabalho, Justiça e Cidadania”, que deve conhecer, por ser magistrado aposentado, como eu. É muito importante que esse trabalho seja divulgado para que nossas crianças voltem a ser crianças, em prol de seu desenvolvimento saudável. Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s