Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Cada vez mais vulneráveis

Deixe um comentário

Domingo de Carnaval, convidei minha irmã para visitar um amigo internado. Convenci-a a ir a pé. Vamos aproveitar para ver os foliões na avenida Paulista. Ela topou. E fomos caminhando.

Havia de tudo na mais emblemática via pública da capital. Famílias, ciclistas, gente fantasiada. Muitos a usarem seus “baseados” ou a prepará-los, com desenvoltura, sentados ao meio-fio.

Descemos a Vergueiro e, conversando, não vi­mos que a rua do Hospital ficara para trás. Quase chegando à Sé, reconheci meu erro. Quem anda só de car­ro pode perder a noção da rota, principalmente quando a pé e a trilhar caminhos nem sempre rotineiros.

Ela se dispôs a procurar o endereço num aplica­tivo. Tira do bolso o seu hi-phone 7 e, imediatamente, um ciclista vem pelo passeio, passa por entre nós dois e, com violência, arranca o celular de suas mãos.

Além do susto, da agressão e da sensação de im­potência, não sabíamos o que nos esperava.

Em menos de trinta minutos, o ladrão ligou para dezenas de pessoas que estavam na lista de contatos de minha irmã, começando com as mais novas. Sobri­nha-neta, sobrinhas, amigas. A todas pedindo depósito urgente em dinheiro, como se fora a própria dona do celular. Como havia fotos do Chile, para onde ela via­jara na semana finda, ele teve a iniciativa de dizer que ela estava em Santiago e que seu cartão fora bloque­ado. Prometia devolver a quantia assim que chegasse a São Paulo.

Muito susto, muita preocupação e a desenvol­tura com que o ladrão forneceu CPFs de pessoas que receberiam o valor dos depósitos.

Por sorte, ninguém chegou a depositar. Restou o trabalho para a recomposição de todos os dados conti­dos no celular, repositório de informações detalhadas sobre a vida de seu titular. Além do prejuízo, do susto, do hematoma que no dia seguinte surgiu, em virtude do gesto brusco de retirar o objeto das mãos de sua proprietária.

Somos cada vez mais vulneráveis e levados a concluir que a responsabilidade é de quem usa celular na rua, que foi ingenuidade tentar localizar um ende­reço em logradouro público, às vistas dos infratores que estão atentos para encontrar lacuna de atenção e descuido, usado em seu benefício e em detrimento das indefesas vítimas.

Fonte: Jornal de Jundiaí | Data: 09/03/2017

JOSÉ RENATO NALINI é secretário da Educação do Estado de São Paulo. E-mail: imprensanalini@gmail.com.

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s