Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Qual a melhor tela?

Deixe um comentário

Estou falando da superfície plana pela qual participamos do universo das comunicações. Até há pouco, era a tela da TV. Hoje, é aquela que estiver mais disponível. A que estiver perto de nós e com acesso fácil. Já estamos na fase em que a forma de transmissão será menos importante do que o conteúdo.

O futuro acena com uma espécie de enorme biblioteca provida de vídeos. Poderá ser explorada por busca ou por meio da recomendação de algoritmos suficientemente inteligentes para detectar nossas preferências.

Isso mostra que, em breve, cada indivíduo será seu próprio programador. Teremos imenso cardápio à disposição, pois haverá sequência de vídeos personalizados, desvinculados de uma estrutura generalista. O consumidor, considerado o hipossuficiente até pelo seu próprio Código de Defesa, como se fora alguém indefeso perante a volúpia do fornecedor, será o ditador das regras. Só sobreviverá aquilo que ele quiser.

Aquilo que parecia o futuro, a TV paga a disponibilizar inúmeros canais, já está em crescente desuso e parece obsoleto. Não há necessidade de centenas de canais. O telespectador se torna seletivo. Ele prefere assistir a uma série. Conheço pessoas que ficaram durante o fim de semana inteiro a assistir todos os episódios em sequência. Não interessa ficar zapeando e dispor de um cardápio em que a maioria das ofertas não atrai quem paga.

Amanhã, poucos pagarão por TV por assinatura tradicional. Mas poderão assinar serviços de vídeo pela internet. Isso já ocorre nos Estados Unidos, onde o grupo tem o nome de “cord never”, ou seja, “cabo, nunca”. É uma revolução que dispensará cabeamento, fibras óticas, toda a infraestrutura que residirá nos satélites, cada vez mais potentes

Não existe necessidade de criação de uma legião de cativos da TV, a não ser em algumas excepcionalidades. Por exemplo: nada substitui o prazer de assistir a um jogo em tempo real. Um experimento já levado a efeito no jogo Atlético Paranaense versus Coritiba foi a transmissão pelo YouTube e Facebook. Quase 3 milhões de pessoas assistiram ao jogo pela rede! Muito mais do que a população de Curitiba! É o mundo novíssimo que já chegou. Percebamos ou não!

Fonte: Jornal de Jundiaí | Data: 18/05/2017

JOSÉ RENATO NALINI é secretário da Educação do Estado de São Paulo

televisão

 

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s