Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

O poeta Ayres Britto

Deixe um comentário

Quem conhece o poeta Carlos Ayres Britto não pode deixar de encantar. Ele é um ser humano singular. Irradia sensibilidade. É um testemunho vivo do que significa a dignidade da pessoa humana, tão decantada como supravalor fundante, tão vilipendiada na prática.

Somente um poeta, como julgador, consegue fazer com que o contraditório seja concretizado em sua plenitude: colocar-se no lugar no outro. Sentir as dores do outro. Estar, simultaneamente, na condição de cada uma das partes. Longe da sofisticação teórica insuficiente para a realização da justiça concreta.

Desde o “Varal das Borboletras”, entusiasmei-me com o talento do irmão de alma de Paulo Bonfim, outra criatura que é primícias da Providência Divina. E veja, muito feliz, que ele continua a produzir. Talentoso cultor da síntese, tão distante de nossa prolixidade jurídica, fabrica seus aforismos na categoria do que ele mesmo chama “poemas-flash” ou oximoros. Oxímoros são combinações de palavras com sentido antagônico tendentes a se excluir mas que, juntas, geram reforço e produzem efeito profundo, simbólico, filosófico e inspirador.

Alguns dos aforismos de Ayres Britto foram recentemente publicados na “Ilustríssima” da Folha de S. Paulo de 28.5.2017 e serão incluídos num livro ora no prelo. Não resisto a me apropriar e a partilhar com aqueles que não tiveram a oportunidade de lê-los. Aqui vão:

“A silhueta de verdade só assenta em vestidos transparentes”. “Ao contrário da roupa no tanque ou nas pedras do rio, quando mais se torce a verdade, mais ela encarde”. “O pior juiz é o que faz de sua caneta um pé-de-cabra”. “Quando um povo pega o touro da corrupção a unha, monta relâmpago em pelo e não cai”. “Não tenho metas ou objetivos a alcançar. Tenho princípios, e na companhia deles nem me pergunto aonde vou chegar”. “Especialidade de vigaristas é conciliar voz fluente e pensamento gago”. “Há quem tenha por fim não ter princípios”. “Conservador é um sujeito movido a imobilismo”. “O sangue da vida também flui pelas veias das palavras”.

Magnífica poesia e filosofia para viver melhor. Vale refletir sobre cada criação que deflui da mente privilegiada e generosa do poeta Carlos Ayres Britto. Para minha alegria, dileto e cultuado amigo.

Fonte: Jornal de Jundiaí| Data: 06/07/2017

JOSÉ RENATO NALINI é secretário da Educação do Estado de São Paulo

writing-1245534

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s