Blog do Renato Nalini

Ex-Secretário de Estado da Educação e Ex-Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. Ex-Presidente e Imortal da Academia Paulista de Letras. Membro da Academia Brasileira de Educação. Atual Reitor da UniRegistral. Palestrante e conferencista. Professor Universitário. Autor de dezenas de Livros: “Ética da Magistratura”, “A Rebelião da Toga”, “Ética Ambiental”, entre outros títulos.

DE LONGE SE VÊ MELHOR

2 Comentários

A comunidade internacional, que se assustou quando o Brasil quis levantar voo para se tornar grande potência, viu que o condor deu lugar à galinha. A economia brasileira continua rasteira, com o desemprego aumentando, mais de 65 milhões de nacionais fora da força de trabalho, a violência crescendo e as mentiras também.

O que parece nos anestesiar e acreditar que tudo vai bem, é visto com percepção aguda pelos estrangeiros. O Wall Street Journal publicou notícia sobre a fuga da elite tupiniquim rumo a Miami, Orlando ou Portugal, assustada com a violência e com a falta de perspectivas. Os números são o atestado inequívoco: as notificações de emigração em 2017 foram 21.700, mais de três vezes do que em 2011.

Todos conhecem alguém que, podendo, fugiu do Brasil. As filas nos consulados enfrentam toda a dificuldade para obter a cidadania e a salvação. Ajuda a mostrar o clima moral do Brasil a ampla divulgação do roubo da Medalha Fields, que o associa à atuação desenvolta das organizações criminosas. “Maior gangue do Brasil seduz recrutas com desconto de mensalidade e programa Adote um Irmão”, está no New York Times e no Washington Post.

O Los Angeles Times publica: “Temporada mortal para os defensores de terras e ativistas ambientais no Brasil”.

Essa a leitura que o mundo civilizado faz do Brasil. Aqui, em lugar de encarar a realidade, todos os candidatos fazem promessas que sabem não poderão cumprir. Não enfrentam a verdade que é o custo exagerado do Estado, com apenas oito dentre os Estados-membros que têm receita para subsistir e quatro quintos dos municípios na mesma condição.

República com quase quarenta partidos e muitos outros aguardando a vez, com Fundo Partidário para custear mamatas e sinecuras, com a corrupção a continuar como se não houvesse MP e Judiciário suficiente para apurar todos os crimes, não pode dar certo.

Vamos continuar a enterrar sessenta mil mortos jovens a cada ano. Sem falar nos que morrem nos corredores dos hospitais, das crianças sem vacina, das facções controlando todos os tráficos e mostrando o que é eficiência e organização. Enquanto isso, procuremos espaço para acenar para aqueles que querem continuar a ser enganados, com a maravilha que será 2019.

*José Renato Nalini é Reitor da Uniregistral, palestrante e conferencista.

norway-772991_1920

 

Anúncios

Autor: Renato Nalini

Ex-Secretário de Estado da Educação e Ex-Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. Ex-Presidente e Imortal da Academia Paulista de Letras. Membro da Academia Brasileira de Educação. Atual Reitor da UniRegistral. Palestrante e Conferencista. Professor Universitário. Autor de dezenas de Livros: “Ética da Magistratura”, “A Rebelião da Toga”, “Ética Ambiental”, entre outros títulos.

2 pensamentos sobre “DE LONGE SE VÊ MELHOR

  1. Bom Dia, Dr!

    Imigração da elite, aumento exponencial da morte de jovens e visão pessimista dos meios midiáticos internacionais: está apresentada a receita para a falência de nosso atual sistema de gestão nacional. Algo precisa ser feito…

    Grande abraço!

  2. Ótimos textos. Leio todos. Agradecida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s